PPP Geologia

O PROJETO POLÍTICO-PEDAGÓGICO DO CURSO DE GRADUAÇÃO EM GEOLOGIA

O Projeto Polí­tico-Pedagógico do Curso de Graduação em Geologia da UFSC tem como alicerces as Diretrizes Curriculares Nacionais para os Cursos de Geologia e Engenharia Geológica (Resolução 01/CNE/CES/2015), a Resolução nº 017/CUn/97 de 30 de setembro de 1997, e a regulamentação do exercí­cio da profissão do Geólogo (LEI nº 4.076, de 23 de junho de 1962 (DOU 27/06/62), que estabelecem a carga horária mí­nima e procedimentos relativos à  integralização e duração dos cursos de graduação na modalidade presencial. O Projeto Político Pedagógico do Curso de Graduação em Geologia da UFSC adota a Polí­tica Nacional de Estágio Obrigatórios para os Cursos de Graduação nas IEFs.

O Projeto Político-Pedagógico do Curso é um documento no qual estão previstas as ações e atividades que uma determinada unidade de ensino busca para o pleno desenvolvimento das políticas e procedimentos pedagógicos discutidos e aprimorados por professores do curso.  O Projeto Político-Pedagógico do Curso se constitui em uma referência norteadora de todos os âmbitos da ação educativa-aprendizado. Por isso, sua elaboração requer, para ser expressão viva de um projeto coletivo, a participação de todos aqueles que compõem a comunidade acadêmica a que se destina.

Periodicamente, o projeto é avaliado e discutido, com vistas a verificar o atendimento dos objetivos estabelecidos e permitir ajustes necessários ao seu aperfeiçoamento. O Projeto Político-Pedagógico do Curso é discutido, construído e avaliado no âmbito do Núcleo Docente Estruturante (NDE) do curso, formado por professores membros, designados por portaria em um período de dois anos. Cabe ao NDE a busca constante por assuntos pertinentes a atualização do Projeto Político-Pedagógico, discussão e detectação e correção de distorções no mesmo.

O NDE é um órgão consultivo – as proposições que dele provém referentes ao Projeto Político-Pedagógico do Curso, são discutidas e implementadas pelo Colegiado do Curso, que é o órgão deliberativo. Para suas proposições, o NDE também analisa os resultados das avaliações discentes.

Avaliação semestral, organizada pela Coordenadoria de Avaliação e Apoio Pedagógico, da Pró-reitoria de Ensino de Graduação. Os discentes acessam o site (http://apoiopedagogico.prograd.ufsc.br/avaliacao-discente-questionario/) e respondem a um questionário. Os dados tabulados são enviados ao Departamento de Geociências, que os disponibiliza ao curso.

O processo de avaliação é realimentado com informações dos egressos, principalmente informações relativas às áreas de atuação e dificuldades encontradas nas atividades laborais.

Após a implantação, o Projeto Político-Pedagógico do Curso de Graduação em Geologia da UFSC deverá ser acompanhado e avaliado de forma contínua, para garantir seu aprimoramento e, sempre que necessário, a realização de adapatações menores que visem o atendimento do avanço e novas exigências científica, tecnológicas e da sociedade. Desta forma, a avaliação do PPP deve ser considerada como ferramenta construtiva que contribui para melhorias e inovações e que permite identificar possibilidades, orientar, justificar, escolher e tomada de decisões sobre as atividades curriculares em geral.

Por isso, o Projeto Político-Pedagógico do Curso é importante para estabelecer referências da compreensão do presente e de expectativas futuras, especialmente quanto à sua coerência com relação ao Projeto de Desenvolvimento Institucional (PDI) da Unidade de Ensino e da UFSC. Dentro deste contexto, é prevista a sistemática de trabalho com vistas à realização de avaliação interna de forma continuada, como processo de reflexão curricular permanente sobre as experiências vivenciadas, conhecimentos disseminados ao longo da formação profissional e a interação entre o curso e os contextos local, regional e nacional.

A avaliação deverá observar a coerência interna entre os elementos constituintes do PPP e a estrutura curricular com relação ao perfil desejado e o desempenho social do egresso, possibilitando mudanças de forma gradual, sistemática e sistêmica. Os resultados da avaliação deverão, então, subsidiar e justificar pequenas adaptações ou reformas curriculares, solicitação de recursos humanos, ampliação de instalações, aquisição de material permanente e de consumo.

Cabe à Pró-Reitoria de Graduação (PROGRAD) avalia o desempenho das atividades curriculares semestralmente, por meio de questionários específicos cujos resultados são reunidos na forma de relatório com o perfil de cada curso.

Em 15 de abril de 2004 foi publicada no Diário Oficial da União, a Lei nº 10.861, instituindo o Sistema Nacional de Avaliação da Educação Superior (SINAES), que tem como objetivo assegurar o processo nacional de avaliação das instituições de educação superior, dos cursos de graduação e do desempenho acadêmico de seus estudantes. O Exame Nacional de Desempenho dos Estudantes (ENADE) é um dos procedimentos de avaliação do Sistema de Nacional de Avaliação da Educação Superior (SINAES), que visa ao reconhecimento e renovação do reconhecimento de cursos de graduação e possibilita a emissão dos diplomas. A avaliação do curso pelo SINAES engloba aspectos relacionados à organização didáticopedagógica; ao corpo docente, técnico-administrativo e discente; e às instalações físicas. O ENADE é item de avaliação da organização didático-pedagógica e se propõe a verificar o desempenho dos estudantes em relação aos conteúdos programáticos, previstos nas diretrizes curriculares; suas habilidades, para ajustamento às exigências decorrentes da evolução do conhecimento; e suas competências, para compreender temas exteriores ao âmbito específico da sua profissão ligados à realidade brasileira e mundial e a outras áreas do conhecimento.

A Comissão Própria de Avaliação (CPA) da Universidade Federal de Santa Catarina, foi instituída por ato do Magnífico Reitor, por meio da Portaria 453/GR/2004, de 02 de julho de 2004, para atender ao que determina a Lei nº 10.861/04, que estabeleceu o Sistema Nacional de Avaliação da Educação Superior (SINAES). A Comissão vem, desde junho de 2004, empreendendo esforços na organização das condições para a viabilização do Programa de Auto-Avaliação Institucional da UFSC. A CPA tem a atribuição de promover e efetivar a avaliação interna do curso, assegurada a participação, sob a forma de representação, dos segmentos da comunidade universitária e da sociedade civil organizada, sendo vedada a composição que privilegie a maioria absoluta de um dos segmentos. A CPA tem atuação autônoma em relação a conselhos e demais órgãos colegiados existentes na UFES (Resolução Normativa Nº 45/CUn/2014, de 20 de novembro de 2014).

Avaliação periódica realizada pelo MEC atrubui as notas do Índice Geral de Cursos (IGC) que vão de 1 a 5, onde 1 e 2 são considerados desempenho insatisfatório; 3, razoável; 4 e 5, bom. Atualmente o Curso de Graduação em Geologia da UFSC possui conceito 4 no MEC.

Versão completa: na Secretaria do Curso de Geologia

Versão completa: PPP Geologia Revisado.2016

Versão completa: PPP Geologia 2012. Revisão 2015